Arquivo para março, 2011

Alberta Ferretti Flagship em Milão

Para quem esta  de malas prontas para a Feira de Design de Milão segue uma dica para amantes de moda e arquitetura.

 Em um respeitado edifício do século XVIII, no coração de Milão está a Flagship Alberta Ferretti. Respeitar os traços da arquitetura neo-classica foi um exigência e logo, ponto de partida para os arquitetos do Sybarite UK Architecture começarem os trabalhos.

Os arquitetos criaram um ambiente extremamente simples para poder destacar a feminilidade e leveza das roupas. A loja é repleta de cômodos ligados por arcos, mantidos da construção original. Nas araras, as peças estão expostas em cabides com sistema magnético bem moderno. A estrutura já existente do edifício e os elementos esculturais de Alberta Ferreti criaram a atmosfera perfeita para valorizar as coleções e ficaram super de acordo com o conceito elegante da marca.

Alberta Ferretti Flagship
Via Montenapoleone 18
Milão, Itália

Avenue Road, loja de móveis contemporâneos em Toronto, Canadá

Em um antigo edifício do ano de 1907 onde funcionava a “Gas Company” de Toronto, Canadá, foi inaugurado em 2010 o gigante showroom da Avenue Road. A restauração do prédio de 15 000 metros ficou por conta de Yabu Pushleberg, que trouxe de volta as formas originais e as qualidades históricas do local.

A loja é famosa pela excelência, sofisticação e qualidade dos móveis e adornos vendidos. Além dos itens anteriores, a Avenue Road tem uma proposta bastante parecida com a da São Romão, juntar móveis clássicos e contemporâneos no mesmo ambiente de maneira coerente.

A Avenue Road tem outro ponto em comum com a São Romão, vende vários móveis de aclamados designers brasileiros como Sergio Rodrigues, Jorge Zalszupin, Arthur de Mattos Casas, Claudia Moreira Salles, Etel Carmona, entre outros, o que prova a qualidade do design brasileiro, que há tempos vem encantando o mercado internacional!


M Coffee em Tehram por Hooman Balazadeh

Pouca foi a variedade de matérias na construção do M Coffee em Tehram , Irã, porém a precisão na escolha e na forma de utilização destes foi certeira pelos arquitetos do Hooman Balazadeh. Basicamente o charmoso café foi construído com base em dois matérias, a madeira que esta presente no piso e nas paredes e o telhado todo em níveis que recebe iluminação interna e chama bastante atenção.

As cores escolhidas tanto nos móveis quanto no teto foram intencionais e remetem elementos que lembram a bebida que dá nome a casa. As cadeiras e sofás em couro marrom, as mesas em madeira ebanizada e o teto na cor creme deixam bem claro que ali você vai desfrutar de um bom café!


Sunset Chapel em Acapulco por BNKR Arquitectura

Mais uma pedra em meio as montanhas de Acapulco! Assim é a Sunset Chapel, projeto do escritório BNKR Arquitectura. A capela foi construída toda em concreto com as paredes vazadas para entrada de iluminação e circulação de ar.

O cliente em todo o momento quis valorizar a bela vista que se tem do terreno em que a capela se encontra, o que deu bastante trabalho para os arquitetos, já que o terreno possui grandes árvores e uma enorme pedra que não tinham como e nem podiam ser retirados dali. Logo o projeto foi construído com base nesses obstáculos, exemplo disso está no nível da capela, que teve de ser elevado 5m do solo, e na bela vegetação envolta.

A localização estratégica foi na intenção de que o sol se ponha bem atrás da cruz do altar, o que a deixa ainda mais bonita!


Galleria Cheonan na Coréia do Sul por UNSudio

“Se os museus estão se transformando em supermercados, por que então deve lojas de departamento não se transformar em museus?” Foi a partir dessa observação que nasceu esse grandioso e ousado projeto dos arquitetos de Amsterdam do UNStudio, para a loja de departamento Galleria Cheonan que por sinal ficou magnífico!

Durante o dia a construção já chama atenção pelo tamanho e imponência e na parte da noite atrai todos os olhares por conta das animações e efeitos de luz que são projetados em toda a fachada. O interior todo branco diminui a necessidade de iluminação artificial e valoriza os produtos em exposição.

Além da praça de alimentação, a loja também conta com espaços reservados para programação cultural, incluindo exposições e desfiles de moda.


A volta do Cobogó

Elemento arquitetônico tipicamente brasileiro, o cobogó, assim chamado com base nas iniciais do sobrenome dos inventores (Coimbra, Boeckmann, e Góis), está de volta!

Assim como a moda resgata itens do passado para lançar tendências, a arquitetura também. Esses charmosos tijolos vazados vem ganhando releituras supercontemporâneas nas mãos dos arquitetos.

Os cobogós foram muito utilizados nos anos 50 e 60 para embelezar fachadas e também dividir ambientes, porém com o tempo sumiram dos projetos arquitetônicos. Hoje eles voltaram e viraram peça chave já que possibilitam entrada de ar e iluminação de forma natural, além de deixar o ambiente mais descontraído e com um charme retrô chic!


Design Brasileiro – Alfio Lisi

Alfio Lisi

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pena Universidade Estadual Paulista – UNESP, Alfio Lisi descobriu sua paixão pela marcenaria em sua passagem pela Faculdade de Artes, onde aprendeu o básico e começou sua carreira de designer de móveis.

Logo que se formou, abriu seu escritório onde desenvolvia projetos paisagísticos, arquitetônicos e também de design. No ano de 2002 abriu sua marcenaria e foi a partir daí que se dedicou a arte de desenhar móveis.

Alfio Lisi faz questão de acompanhar de perto todo o trabalho e verificar pessoalmente suas peças antes delas saírem da marcenaria. Segundo o designer, “A madeira é um material bastante democrático. Com grande tecnologia ou um simples canivete, pode-se fazer algo com uma peça nobre ou mesmo sobras de madeira…” 

 

Banco Abaporu

 

Banco Jangada

 

Mesa Belenzinho

 

Mesinha Chega Aqui

 

Poltrona Bonfim

Rack Janete

 


Nova sede do “Guggenheim Museum” em Abu Dhabi por Frank Ghery

Previsto para ser inaugurado no final de 2011, o “Guggenheim  Museum” de Abu Dhabi  será o maior dos quatro já existentes!  O projeto mais uma vez ficou a cargo do arquiteto Frank Ghery, que vai erguer o prédio que ocupará 320 000m² em uma pequena ilha natural que fica bem próxima da capital.

Ghery pretende enquadrar o museu na água, já que este estará rodeado em três dos seus lados pelo oceano. A intenção é transformar o Guggenheim em um pólo turístico para atrair todo o tipo de público para apreciar arte e cultura. Em torno do museu principal, ficarão também um Museu Nacional, um Museu Marítimo, um Museu de Arte Clássica e um centro de Artes Performativas.


Tomás Saraceno e suas utópicas instalações

Tomás Saraceno

O artista argentino, que atualmente vive e trabalha na Alemanha, Tomás Saraceno diz que ao olhar para o céu, vê possibilidades de repensar o modo como vivemos em relação ao outro. O artista licenciado em arquitetura pela Universidade Nacional de Buenos Aires e iniciou seu interesse pelas artes na Escuela Superior de Bellas Artes de La Nación Ernesto de La Corcova.

Como os arquitetos visionários do passado, Saraceno pretende remodelar o espaço social e físico através da sua visão futurista.  Sua primeira exposição individual, MATRIX, aconteceu nos Estados Unidos e chamou bastante atenção dos críticos.

Seus trabalhos produzem visões de estruturas de transporte, de cidades flutuantes e outros tipos de construção. Suas instalações, esculturas e fotografias ultrapassam as restrições do habitat humano e sugerem um novo modo de perceber a natureza.   


Teshima Art Museum por Ryue Nishizawa e Rei Naito

Partindo do princípio do “vazio” e com inspiração em uma gota d’água que o arquiteto Ryue Nishizawa em parceria com Rei Naito criou a enigmática instalação do museu Teshima.

Nessa bela construção podemos notar traços do modernismo do século XX e influências das formas sensuais da arquitetura de Oscar Niemeyer.  Se visto por dentro, o uso do concreto aparente sugere uma instalação industrial em meio a bucólica ilha em que se encontra, mas por fora o branco prevalecente dá um ar suave e misterioso já que está em um ambiente rodeado de verde. Há também um segundo pavilhão, onde se encontra uma loja e um café.

Os visitantes sempre se surpreendem com o tamanho desta enigmática instalação que se estende por 60m ao longo do seu eixo mais longo. Mais um projeto incrível assinado por essa premiada dupla de arquitetos!


Jacob Hashimoto, mais um jovem talento da arte contemporânea

Jacob Hashimoto é mais um fascinante artista da arte contemporânea, sua maneira de trabalhar com o papel e através dele criar cascatas, nuvens e diferentes formas, é mágica! Jacob é tipicamente americano (nasceu em Greeley EUA), mas foi através da sua herança japonesa que seu trabalho ganhou notoriedade.

Hashimoto é muito conhecido por suas instalações em que ele cria em grande escala formas esculturais através da milenar arte de fazer “pipas” com bambu e cordas.

Além das instalações, o artista é famoso também por suas telas também feitas com o mesmo trabalho das instalações. Suas telas parecem cortinas compostas por vários círculos de papel de arroz unidos por linha de pesca, quase que invisível. O resultado final lembra um pouco o trabalho da brasileira Beatriz Milhazes. Jacob também faz esculturas em mármore que resultam em um trabalho de extrema leveza. Confira um pouco da obra deste talento da nova geração!

Instalação

Instalação em Roma

Colonia

Colonia, detalhe

Superabudant, 2005

Clouds, 2002

Circumstances and Coincidences, 2009

Overgrown with Osiers, 2009

White Waves, 2005 - Escultura em mármore


Cocoro, restaurante japonês na Nova Zelândia por Gascoigne Associates

 

Onde antes era um antigo galpão industrial, os arquitetos do Gascoigne Associates construíram o Cocoro (“alma e coração” em japonês) restaurante japonês que vai além do tradicional ao servir pratos com influência nipônica, porém incrementados, em Auckland, na Nova Zelândia.

Os proprietários queriam criar um ambiente moderno, confortável e natural, logo os arquitetos não pouparam na utilização de ripas de madeira no projeto, elas estão por todo lado, na fachada e nas paredes. No teto elas também foram expostas, porém junto com concreto aparente e iluminação de LED, que atingiu perfeitamente o objetivo dos donos.

Uma longa mesa de 6m rodeada com várias cadeiras Panton fica bem no centro da casa, de frente para a parede ripada que possui uma janela que dá vista para a cozinha. Já as mesas em volta contam com exemplares da cadeira Wishbone.

Todos os materiais apresentados são recicláveis​​. O resultado é um espaço contemporâneo, adequado tanto para o almoço e jantar.

Cocoro Auckland
56 Brown Street
Auckland, Nova Zelândia

“Rock It Suda” a Pensão Rock’n ‘roll na Coreia do Sul

Projeto do excêntrico escritório de arquitetura Moon Hoon , o Rock It Suda é um conjunto de seis casas (ou pensões como são chamadas na região) nada convencionais que fica na beira de uma montanha em Jeongseon, Coreia do Sul. Cada casa possui um tema diferente, como Barbie, Ferrari, e Espanha, e são decorados com cores e desenhos malucos, que não possuem razão ou lógica, todas com uma vista excepcional!

Tal falta de lógica torna as acomodações do Rock It Suda elegantes, com estilo único e sexy de se hospedar. Há quem as considere reproduções de robôs gigantes saídos dos antigos seriados dos heróis orientais.  A “pensão rock’n ‘roll” é chamada assim por pertencer ao baixista de uma banda de rock que regularmente se apresenta no local.


Design brasileiro – Zanine Caldas

Jose Zanine Caldas

O baiano de Belmonte Zanine Caldas é realmente um artista completo. Maquetista, arquiteto, paisagista, artista cerâmico, escultor e designer, sempre cauteloso trilhou sua trajetória passo a passo.

Em seu primeiro emprego como maquetista, precisou desenvolver varias pesquisas que envolviam a madeira laminada. Aos poucos ele notou que a madeira compensada era mais interessante pois conseguia reproduzir com mais fidelidade as idéias do arquiteto.

Uma de suas primeiras peças em 1948,foi para uso próprio, e era a prova d´água. Pouco depois disso ele abriu uma fábrica que ficou conhecida como Móveis Artísticos Z. Essa sua novidade “tecnológica” no mobiliário, interessou bastante a classe média.  As cores eram vivas, e o material além de popular possuía dimensões menores, que se adaptavam facilmente aos ambientes mais populares da época, os apartamentos.

Zanine foi um dos primeiros a acreditar na industrialização, e em busca de um melhor preço abriu mão do artesanal e implantou em sua linha de produção os princípios da modulação e do aproveitamento completo das chapas de compensado. Os módulos eram parafusados e a forração em geral, feita por tecido sem costura como a lona, lonita listrada e plásticos pregados com tachinhas.

Alguns críticos dizem que suas pecas lembram amebóides outros apenas apontam as sinuosas formas em linhas curvas ou em formato da letra Z.

Em um segundo momento, Zanine encerrou sua participação na Móveis Artisticos Z e partiu para o outros ramos. Fez projetos de casas, desenhou para indústrias, e por fim trabalhou com madeira maciça o que para ele significou uma nova renuncia.

Sem o diploma de arquiteto,  Zanine enfrentou situações difíceis em sua carreira, mas hoje ele é mundialmente reconhecido.

Segundo seu filho, Zanini de Zanines Caldas, “Para meu pai, mais importante que o notório saber era o notório fazer” …vejamos algumas de suas criações! 

Estes e outros móveis desenhados pelo designer brasileiro Zanine Caldas são encontrados na São Romão!


“Museum of The Moving Image” em Nova York

No dia 15 de janeiro reabriu em Nova York o “Museum of The Moving Image”. O museu que tem como tema mídias e imagens, possui arquitetura composta por triângulos.

O museu é super bacana, nele as noções de visão e realidade são trazidas à tona para o visitante através das inúmeras instalações de vídeos espalhadas pelas galerias. Os meios de acesso para os salões através de rampas iluminadas e escadas revelam espaços incríveis, como por exemplo o teatro principal com suas paredes angulares composta por mais de 1000 painéis triangulares e atmosfera espacial.  Além dos painéis, o que mais chama atenção no teatro é a cortina, obra da artista Cindy Sirko, toda colorida e que parece pular da tela para o público.

Uma visita ao museu é como se você estivesse fora da realidade! Confira um pouco desse belo projeto que fala por si só!


Andaz Liverpool Street Hotel em Londres

O prédio construído em 1884 por Charles Barry abriga o recém inaugurado hotel da rede Hyatt em Londres, que atende a todos os gostos arquitetônicos. O projeto mescla linhas renascentistas com elementos da arquitetura contemporânea.

Ao entrar no lobby você já se depara com uma surpreendente parede de espelhos com iluminação traseira que muda de cor suavemente. Logo mais o hóspede pode atualizar sua leitura na charmosa biblioteca, onde lhe será servido o tradicional chá londrino ou até mesmo um vinho.

Todos os quartos seguem os mesmos padrões de cores, sempre nos tons vermelho e preto. A chaise vermelha e o elegante banheiro em preto e branco chamam bastante atenção!

A localização privilegiada oferece fácil acesso para o hospede rodar por Londres. Além do restaurante principal, o hotel ainda conta com um bistrô e o bar do hotel que atende também quem não está hospedado no Andaz.

Andaz Liverpool Street

Andaz Liverpool Street
Liverpool Street 40
Londres, Reino Unido
www.andaz.com

Opera House em Guangzhou por Zaha Hadid

Programada para começar a funcionar em 2010, junto com os Jogos Asiáticos na China, a “Opera House” projeto da arquiteta Zaha Hadid teve de ser adiado para fevereiro de 2011 por conta de um incêndio durante as obras.  A casa abriu oficialmente no dia 25 de fevereiro.

O projeto de dois edifícios em formato de pedra totalizam 70 mil m². O primeiro prédio abriga o grande teatro com 1800 lugares, já o segundo é composto por um auditório multiuso com 400 lugares. Os dois prédios são caracterizados por suas formas irregulares e arredondadas, inspiradas nos seixos de rio. O interior do auditório principal tem painéis modulados de gesso reforçados com fibra de vidro, que criam uma superfície fluida, compatível com o projeto arquitetônico. Ambos os edifícios privilegiam a entrada de luz natural.

O espaço chama bastante atenção tanto dentro quanto fora dos prédios devido aos espaços envolventes e arquitetura impecável!


“Le Mur Vegetal” do Edifício Caixa Forum em Madrid

O edifício Caixa Forum é um espaço para exposições e conferências em Madrid. Preocupados com as questões de sustentabilidade, os arquitetos do Hergoz & DeMeuron contratram o botânico mestre em jardins verticais, Patrick Blanc para juntos construir essa obra de arte! A seleção de espécies vegetais foi definida de acordo com as condições climáticas da região.Todo o sistema de rega e fertilização são automatizados através de um sistema de alta tecnologia.

Além de ecologicamente corretos – purificando o ar – “Le Mur Vegetal” têm um incrível poder de proteção termo-acústica e, é claro, função estética!


Casa vertical por Ricardo Bello Dias

Construída onde antes funcionava uma borracharia, está a casa e escritório arquiteto brasileiro que consolidou sua carreira na Europa. O espaço atual possui três níveis.

O térreo é composto um pátio ao ar livre e uma sala que Ricardo reservou para estudos. A cozinha possui bancada em madeira e laca, mesa com pé em aço inox desenha pelo próprio e as famosas cadeiras Wishbone.

No segundo pavimento encontra-se a sala, que chama a atenção pelos dois grandes espelhos redondos nas paredes além das mesas Fuji, design do próprio arquiteto para Gallotti & Radici e a poltrona Paulistano de Paulo Mendes da Rocha.  Um inusitado piano Yamaha de cauda também faz parte da decoração, já que uma para Ricardo Bello Dias tocar é a melhor maneira de se relaxar.

O quarto foi projetado no último nível da casa. O espaço é bastante amplo, possui uma sala para leitura em anexo divida por cortinas de linho com uma mesa de trabalho desenhada por ele para Gallotti & Radici e um exemplar da poltrona Fjord, design da Patricia Urquiola para Moroso.


Cattedrale Vegetale na Província de Bérgamo, Itália

A Itália é famosa por suas belas e imponentes catedrais feitas de pedras e com exuberantes vitrais, mas igual ou parecida com essa só conhece quem esteve no Parco Delle Orobie Bergamashe, na Província de Bérgamo.

Depois de muito tempo de trabalho, foi inaugurada em setembro de 2010 na Província de Bergamo, Itália, a Cattedrale Vegetale! O projeto foi idealizado pelo já falecido artista de renome internacional, o italiano Giuliano Mauri, que tinha a intenção de criar um interessante contraste das igrejas de pedra com a natureza. Uma imensa estrutura com 42 coluna e 5 corredores construídos com 1.800 troncos de abeto, 600 de castanheiro e 6.000m de troncos de aveleira unidos entre si por madeiras flexíveis, estacas, pregos e cordas que foram unidos através de uma antiga arte de entrelaçamento. Ao longo dos anos quem vai interferir na catedral é a natureza, já que o projeto prevê o crescimento de espécies entre os troncos, as estações do ano vão interferir bastante no visual da catedral, a deixando bela independente da época!

A Cattedrale Vegetale hoje é considerada patrimônio natural, cultural e religioso. O resultado ficou surpreendente!


Ze Bar em Shangai

Inaugurado em 2010, o Ze Bar surgiu a partir da ideia de um ex músico e cineasta chinês que resolveu abrir um bar musical com atmosfera 3D. O bar é surpreendente, ao entrar ele parece hipnotizar o cliente com a quantidade de efeitos, texturas e iluminação que foram utilizados pelo estúdio de arquitetura 3Gatti.

As paredes do salão imitam pele de zebra, que junto com a iluminação criam um jogo de sombras incrível.


Cobertura em Belo Horizonte por Johanna Anastasia

Johanna Anastasia caprichou na escolha dos moveis que compõem a decoração desta cobertura no bairro belvedere em Belo Horizonte. O resultado ficou bem bacana e mostra que mais uma vez os profissionais mineiros estão com tudo.

Na sala de televisão, a arquiteta optou por uma  inusitada mistura da clássica poltrona Charles Eames com o contemporâneo banco Trebbi do Estudio Bola e o belo sofá revestido em couro caramelo.

Já na sala de jantar, a mesa Quadratta da designer Amelia Tarozzo, foi feita em ipê com um tampo de vidro, e das dez cadeiras, foram escolhidas oito Jecker  estofadas em couro da marcenaria Etel Carmona e quatro Oscar do Sergio Rodrigues que foram colocadas nas cabeceiras.

No estar foi escolhido o sofá Square  e a charmosa mesinha Maria Sem Vergonha da marcenaria Etel Carmona como apoio. Além da mesa de centro Bandeja, Johanna usou duas mesas laterias ripadas também da Etel. Duas poltronas Beto do Sergio Rodrigues também compõem o ambiente.

Para finalizar, na área externa a arquiteta optou por uma bela mesa com pé em aço inox, tampo de mármore e oito cadeiras em polipropileno.

Todos os móveis desta cobertura você encontra aqui na São Romão.

http://www.anastasiaarquitetos.com.br
Rua Orenoco 137, loja 01
Bairro: Carmo
Tel : 32821334

Waterhouse em Shangai por Neri & Hu

A Waterhouse em Shanghai, é um hotel butique que fica em um edifício de quatro andares, comporta 19 quartos, e se localiza em frente ao rio Huangpu. Isso significa que deste mesmo local, pode-se avistar toda a linha do horizonte de Pudong.

 Para quem não sabe Shanghai  se divide em dois lados. O lado “Puxi” que corresponde a maior parte, se concentra 90% dos residentes da cidade,e “Pudong” que é o distrito financeiro e o  “novo lado”  de Shanghai.

O interessante deste projeto é que por ele habitar a antiga sede do Exército chinês dos anos 30,  conseguiu perfeitamente reforçar um novo conceito de renovação arquitetônica que significa, o contraste do velho e o novo. Neri & Hu,os arquitetos  da Waterhouse, tinham como objetivo expressar o passado industrial da estação naval que transitava pelo rio, e contextualizar com a história análoga da cultural local: confusão e inversão do exterior e interior, bem como a esfera pública e privada.

 Outro ponto a ser destacado é que existe uma certa conexão visual entre os locais públicos do hotel, com o interior dos quartos.tudo isso para reforçar ainda mais o conceito da realidade da cidade de Shanghai, aonde as condições dos locais urbanos, se estabelecem por corredores visuais e locais apertados que disputam um mesmo espaço. 


Vencedores do prêmio “Restaurant & Bar Design Award”

Galvin La Chapelle - Melhor restaurante

Em junho de 2010 foram anunciados em Londres os vencedores do “Restaurant Bar & Design Awards”, prêmio independente dedicado ao design. Este foi o segundo ano da premiação, que teve mais de 400 casas, sendo essas de 38 diferentes países, inscritas. 

A escolha dos vencedores foi feita por um juri composto por influentes profissionais de design, como arquitetos, decoradores, jornalistas e formadores de opinião.

O grande prêmio da noite foi para o restaurante londrino Galvin La Chapelle, projetado pela Design LSM. Confira abaixo os vencedores de todas as categorias.

 
 
 
 
 

Galvin La Chapelle (Londres) - Melhor Restaurante

 

The Tote (India) - Melhor Bar e Bar Internacional

The Tote (India) - Melhor Bar e Bar Internacional

Outsider Tart (Londres) - Melhor Cafe ou Fast food

Canteen (Londres) - Melhor rede de restaurantes

Pio Pio (Nova York) - Melhor restaurante internacional

Urban Reef (Boscombe) - Restaurante, bar ou club em outro espaço (metrô, aeroporto, etc)

theCUT (Newcastle) - Melhor Club ou bar independente

Bangalore Express - Melhor rede de club ou bar

Elliot's (Edinburgh) - Melhor restaurante ou bar de hotel

Sound (Tailândia) - Melhor projeto de iluminação